×
25/05/2022 15h00 Há 730 dias
Saúde de Rio Claro quer reduzir uso de antibióticos injetáveis

    O uso desnecessário ou exagerado de antibióticos pode comprometer a saúde do paciente, já que favorece a resistência bacteriana. Para evitar essa ameaça à saúde pública, a Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro implantou novo protocolo para direcionar o uso destes medicamentos a partir do diagnóstico de cada paciente.

    “Com isso, evitamos o uso desnecessário de antibióticos, principalmente os injetáveis, estabelecendo o medicamento que deve ser usado de acordo com a patologia do paciente”, destaca Giulia Puttomatti, presidente da Fundação Municipal de Saúde.

    A necessidade da implantação do protocolo se deu uma vez que na rede pública municipal foi identificado o uso de injetáveis como primeira opção para tratamentos infecciosos. “Na maioria dos casos, o tratamento deve ser iniciado com antibiótico via oral, que só será substituído pelo injetável quando houver real necessidade”, observa Graziela Gobbi Medina, responsável pelo setor de dispensação de medicamentos.

    Todos continuam tendo direito aos medicamentos que são fornecidos pela rede pública municipal, porém a aplicação do medicamento injetável será realizada se houver aprovação de comitê técnico, que pode também apontar a substituição do medicamento inicialmente prescrito.

    No caso de pacientes da rede particular com indicação de antibiótico injetável, é necessário receituário e relatório médico que justifique o uso da medicação. “Pacientes da rede particular que necessitarem de aplicação de antibióticos injetáveis na rede pública devem procurar o Pronto Atendimento do Cervezão e apresentar a documentação exigida (prescrição e relatório médico)”, informa Juliana Sartori, enfermeira do comitê técnico, acrescentando que o PA do Cervezão também é a unidade de referência para pacientes com alta da Santa Casa. Já em quem teve a necessidade de prescrição de antibiótico injetável nas unidades básicas de saúde e unidades de saúde da família as aplicações serão realizadas conforme orientação do comitê técnico.

    “O objetivo é oferecer ao paciente o melhor tratamento disponível de acordo com o quadro clínico que ele apresenta, otimizando os recursos e, principalmente, evitando a resistência bacteriana”, pontua Juliana Tangerino, médica infectologista que elaborou o protocolo.

    O protocolo antimicrobiano pode ser acessado no endereço https://www.saude-rioclaro.org.br/. No lado esquerdo da tela deve ser selecionada a opção Assistência Farmacêutica e na tela seguinte o link para o protocolo antimicrobiano. No documento também consta a relação de antibióticos fornecidos pela rede pública municipal e a especificação dos casos em que cada um deve ser prescrito pelo médico.

Autoria: Fonte: Prefeitura de Rio Claro