×
07/05/2022 09h00 Há 748 dias
Cemitérios de Piracicaba esperam receber cerca de 15 mil pessoas

Com uma expectativa de receber cerca de 15 mil pessoas no fim de semana do Dia das Mães, hoje (7) e amanhã (8), a Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), executa limpeza e roçada, além de fazer a disposição de bebedouros móveis nos três cemitérios de responsabilidade da pasta, Saudade, Vila Rezende e Ibitiruna. Nos dois dias, os cemitérios da Saudade e Vila Rezende funcionam das 7h às 18h e o de Ibitiruna das 7h às 17h.

A limpeza de sepultura está liberada nos três cemitérios e a recomendação é que seja feita até o hoje, para liberação no domingo, dia de maior movimento. O comércio de flores e velas está autorizado no entorno dos cemitérios da Saudade e Vila Resende, já o comércio de alimentação está liberado apenas no bolsão da Saudade. A fiscalização dos ambulantes será realizada pela Guarda Civil, a partir das 9h. Sobre a segurança, nos cemitérios da Saudade e Vila Rezende haverá uma viatura estacionada durante o horário de funcionamento de ambos.

A equipe do Programa Municipal de Controle do Aedes (PMCA) tem realizado vistorias semanais para garantir que os potenciais criadouros do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, sejam exterminados. A Sedema não proíbe que os cidadãos levem vasos aos cemitérios, mas é preciso evitar os pratinhos e os envoltórios plásticos, que podem acumular água, servindo de abrigo para as larvas do mosquito.

CELEBRAÇÃO – Este ano não haverá missa no domingo, Dia das Mães, no Cemitério da Saudade e no da Vila Rezende. A celebração em homenagem às mães falecidas, no Cemitério da Saudade, será na segunda-feira, 09/05, às 7 horas, na Capela São Miguel Arcanjo.

LIMPEZA – O Dia das Mães é a segunda data do ano de maior movimento nos cemitérios municipais. A primeira é dia 02/11, Finados. A limpeza de túmulos é o ganha-pão de muitas pessoas, que são autorizadas a realizar o serviço pela Prefeitura e são contratadas diretamente pelas famílias. É o caso de Dulcinéia de Fátima Oliveira Almeida, 65 anos, e a filha Juliana Cristina de Almeida, 37 anos, que começam cedo o trabalho, às 7h, no Cemitério da Saudade. “Eu faço limpeza há 47 anos. Aqui eu conheci o meu marido, que era coveiro. E a minha filha me acompanha desde os 7 anos. Daqui tiramos nosso sustento e temos muito orgulho do nosso trabalho, procuro deixar tudo sempre limpinho e brilhando”, conta Dulcinéia.


Foto: Prefeitura de Piracicaba

Autoria: Fonte: Prefeitura de Piracicaba