×
06/04/2022 20h00 Há 739 dias
Dirigentes sindicais lamentam intransigência do prefeito Luciano

    O presidente do Instituto Conespi (Conselho das Entidades Sindicais de Piracicaba), Wagner da Silveira, o Juca dos Metalúrgicos, lamentou postura de intransigência do prefeito Luciano Almeida, que suspendeu as negociações com o Sindicato dos Servidores Municipais de Piracicaba e judicializou a greve deflagrada no último dia 1º. Ele lembrou fala do prefeito que, depois de ter dito durante toda campanha eleitoral de 2020, que iria valorizar os servidores municipais. 

    Nas manifestações dos dirigentes sindicais, o vice-presidente do Instituto Conespi, José Antonio Fernandes Paiva, disse que não será a multa de R$ 50 mil ao Sindicato dos Servidores Municipais, fixada de forma monocrática pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, que irá impedir a manutenção da greve pela categoria.

    O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Valdir Sgrineiro, lembrou que em 1994, os servidores chegaram a realizar uma greve de 45 dias, também por reajuste salarial, e que o movimento, como naquela época, está muito forte. Osmir Bertazzoni, diretor do Sindicato dos Servidores Municipais, também encorajou a categoria a manter a greve e disse que a entidade estaria se preparando para defender juridicamente, inclusive, não descartando de levar a demanda para o STF, uma vez que a administração municipal acabou não levando o dissídio coletivo dos servidores para a justiça trabalhista, que é o fórum legítimo.

    O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Papel, Papelão e Artefatos de Piracicaba, Emerson Cavalheiro, também manifestou total solidariedade aos municipais, defendendo que a categoria se mantenha em greve enquanto as negociações não forem retomadas e a administração atenda as reivindicações da categoria. “Pode ter a certeza de que o Sintipel estará até o final com vocês”, discursou. 

Autoria: Vanderlei Zampaulo Fonte: Conespi - Piracicaba