×
26/06/2022 15h16 Há 721 dias
Hoje, no Garapa, tem a obra de Aldir Blanc

    Com o show Viva Aldir Blanc, Sandra Rodrigues, Ramon Saci e Wagner Silva sobem ao palco do Ponto de Cultura Garapa, às 18h neste domingo (26), trazendo música de qualidade e bom gosto. A apresentação se concretiza atendendo a um convite feito pela direção do Garapa com um merecido tributo ao mestre Aldir Blanc.

    E falando em tributos, um dos mais marcantes shows da cantora Sandra Rodrigues é justamente em homenagem à Clara Nunes. Espetáculo que se destacou sendo escolhido para abertura da edição piracicabana da Virada Cultural Paulista, em 2017.

    Seguindo a mesma linha, a escolha da obra de Aldir Blanc para um novo espetáculo se dá por sua grandeza e genialidade, como também por trazer luz à Lei Aldir Blanc (LAB) que tanto auxiliou a classe artística durante a pandemia e agora está em risco. “A lei poderia se chamar Benedita da Silva ou Jandira Feghali, mas, justamente, homenageou Aldir por sua arte e também por ser ele mais uma vítima da Covid 19”, comenta Wagner Silva.

    Para Silva, pesquisar a obra de Blanc é estudar música com um grande mestre. O título do espetáculo tem a ver com a saudação a ele, mas também serve como apelo para que a LAB tenha continuidade para amparo de músicos, atores, técnicos e toda classe artística, apesar da resistência de alguns. 

    Esta apresentação no Garapa será intimista, trazendo canções como O Bêbado e o Equilibrista, Resposta ao Tempo, Chá de Panela, Querelas do Brasil e outros sucessos que marcaram as tantas parcerias da longa carreira de Aldir.

Uma pequena mostra do trabalho deste compositor, cantor, interprete marcante na história da nossa música. “Quando fomos fazer pesquisa da obra, ficamos enlouquecidos tamanha sua grandiosidade e beleza”, afirma Wagner.

    Os próximos passos levarão a ampliação do repertório com novas canções que valorizem ainda mais sua obra.

    Agora, é conferir o resultado desse trabalho que reúne maravilhosas canções da MPB, por um grupo com nova formação que promete: Sandra Rodrigues, Ramon Saci, Wagner Silva.

    UM POUCO DO MESTRE ALDIR - Aldir Blanc letrista, compositor, cronista e médico, falecido em 2020 por complicações pós contaminação pela Covid 19. Ele abandonou a medicina para dedicar-se a arte de compor e tornou-se um dos maiores letristas da nossa MPB.

    Com 50 anos de carreira, foi autor de mais de 600 canções. Seu parceiro mais conhecido era João Bosco. No entanto, ele teve cerca de 50 outros parceiros como Guinga, Moacyr Luz, Cristóvão Bastos, Maurício Tapajós e Carlinhos Lyra entre outros.

    Toda sua obra merece destaque, mas vale citação para alguns trabalhos notáveis como “Bala com Bala”, “O Mestre-sala dos Mares”, “Dois pra Lá, Dois pra Cá”, “De Frente pro Crime”, “Kid Cavaquinho”, “Incompatibilidade de Gênios”, “O Ronco da Cuíca”, “Transversal do Tempo”, “Corsário”, “Catavento e Girassol”, “Coração do Agreste” e “Resposta ao Tempo”, sem falar no autêntico hino, “O Bêbado e o Equilibrista”, imortalizado na voz de Elis Regina.

    Sempre politicamente envolvido com as questões nacionais presentes em suas composições, Aldir foi também cronista em publicações como O Pasquim e Bundas e nos jornais O Globo, Jornal do Brasil e O Dia.


    SERVIÇO

    Show Viva Aldir Blanc

    Sandra Rodrigues (voz), Ramon Saci (violão) e Wagner Silva (percussão)

    26 de junho, domingo, 18h

    Ponto de Cultura Garapa – Rua Dom Pedro II, 1313 – Centro – Piracicaba

    Entrada franca

Autoria: Fátima Silva Fonte: Conexão Piracicaba