×
15/10/2022 14h27 Há 610 dias
“Projeto Erês” debate a literatura afro-brasileira nas escolas

    Iniciado em agosto, o “Projeto Erês – Identidade e Literatura Negra”, de Piracicaba (SP), encerra suas atividades neste sábado, 15, às 17h, em ação virtual em homenagem ao Dia do Professor, comemorado na mesma data. A live, aberta ao público, acontece pelo canal do Youtube do projeto, que pode ser acessado pelo endereço virtual: https://www.youtube.com/channel/UCtxu_QG0AseOFyIQoqA2k2Q.

    A transmissão terá palestra com a coordenadora e idealizadora do projeto, Lia Teodoro Martins, que apresentará a metodologia de forma adaptada à realidade escolar, a fim de garantir que as ações afirmativas desenvolvidas no projeto possam ser aplicadas de forma contínua nas escolas.

    Durante a palestra, serão justificados os métodos por meio de conceitos históricos, subjetivos, lúdicos e literários a fim de fomentar o letramento, alfabetização e literatura afro-brasileira de maneira transversal. De forma didática, a idealizadora, que é professora e pedagoga, demonstrará um plano de aula com exemplos de ações e sugestão de materiais.

    Além disso, serão realizados sorteios dos livros usados nas oficinas de contação de história entre os participantes das dinâmicas e o público. “Dessa forma, além do incentivo à leitura, contemplaremos a disseminação da literatura negra infanto-juvenil no interior do estado e propiciaremos recursos para continuidade do projeto nas escolas e famílias brasileiras”, explica Lia Teodoro Martins.

     PROJETO - Com o objetivo de fomentar a literatura afro-brasileira no interior paulista e trabalhar a subjetividade negra de forma lúdica, o “Projeto Erês – Identidade e Literatura Negra” realizou uma série de ações on-line, com valorização da cultura negra.

    “É necessário trabalhar as relações sociais e a autoafirmação do negro sem passar por uma vivência racista e, sim, a partir de uma ludicidade produzida e pensada para os afrodescendentes, que é possibilitada pela literatura negra infantil e a partir de um imersão cultural afro-brasileira”, afirma a idealizadora Lia.

     “Ao longo dos encontros, buscamos trazer materiais práticos e permitir a qualificação lúdica de todos que os acompanharem. Trabalhar subjetividades é formar identidades individuais e coletivas permanentes no sujeito, a fim de que o mesmo se torne propagador de sua cultura e seja psicologicamente bem resolvido quanto a sua origem, a ponto de enfrentar o racismo sem grandes danos a sua saúde mental”, completa a idealizadora.

    DISPONIBILIZAÇÃO - O projeto ainda disponibilizará os links de todas as lives realizadas para as instituições de ensino, além de slides com a metodologia e planos de aulas a serem aplicados pelos educadores nas escolas

    SERVIÇO -  “Projeto Erês – Identidade e Literatura Negra”. Acesso gratuito no Youtube (https://www.youtube.com/channel/UCtxu_QG0AseOFyIQoqA2k2Q). Mais informações podem ser obtidas no Instagram: @eresidentidadeeliteratura.

    Foto: Paulo Fortunato

Autoria: Rafael Bitencourt Fonte: Assessoria de Imprensa