×
25/03/2022 22h01 Há 759 dias
Quais as diferenças entre as medicinas ocidental e chinesa?

Os princípios e as abordagens de ambos sistemas são diferentes. A medicina ocidental prioriza os problemas físicos dos problemas mentais e emocionais, enquanto que a medicina chinesa aborda as enfermidades de uma maneira holística.

A medicina chinesa usa a medicina natural, em oposição a medicina ocidental que utiliza análogos sintéticos de produtos naturais.

A medicina chinesa, diferentemente da medicina ocidental, não isola os distúrbios emocionais ou nutricionais das desordens físicas no tratamento. De fato, ela atribui as causas internas das doenças aos desequilíbrios da dieta e as sete emoções.

As drogas (fitoterapia) usadas na medicina chinesa podem ser individualmente moldadas para adequar aos sintomas do paciente, enquanto as drogas ocidentais são padronizadas e uniformes.

E finalmente, as fórmulas herbáceas chinesas não geram efeitos colaterais quando tomadas na quantidade apropriada.

A medicina ocidental enfoca exclusivamente sobre o local e o mecanismo de uma enfermidade. A medicina chinesa, por outro lado, centraliza no ajuste do organismo inteiro. Ela é uma filosofia, assim como uma terapia do corpo, e, portanto, mais de abordagem orgânica do que mecanicista.

A medicina chinesa presta especial atenção para queixas subjetivas do paciente e prescreve combinação dos pontos de acupuntura e fórmulas herbáceas nutritivas baseadas na totalidade dos sintomas objetivos e subjetivos.

A constelação de sintomas é chamada de “conformação”. A medicina ocidental geralmente oferece um tratamento não específico ou supressivo para um vasto número de desordens funcionais, enquanto que a chave da medicina chinesa é a observação da função e o uso específico da combinação dos pontos de acupuntura e das combinações herbáceas   para os sintomas altamente diferenciados.

O diagnóstico precoce leva à prevenção de danos orgânicos permanentes, e é na área da prevenção que a medicina se sobressai. De acordo com os médicos chineses, doenças diagnosticadas e tratadas precocemente podem ser impedidas de entrar em estágios mais avançados se não estiverem em estágio terminal.

A teoria médica chinesa provê explicações e tratamentos para desordens que a medicina ocidental é incapaz de diagnosticar ou explicar através dos métodos laboratoriais.

A medicina chinesa é filosófica, sintética, holística, interna, empírica, individual, preventiva, humoral, subjetiva e natural. A medicina ocidental é científica, analítica, tópica, cirúrgica, preventiva, socializada, bacteriológica, experimental, celular, objetiva e química.

O objetivo final é juntar o melhor da medicina chinesa com o melhor da medicina ocidental. Tal síntese, nós acreditamos, irá prover o mundo com um melhor sistema de saúde, mais completo e mais satisfatório.

Autoria: Patrícia Duarte Fonte: Internet