×
23/03/2022 21h33 Há 752 dias
Servidores rejeitam proposta da prefeitura e mantêm estado de greve

    O Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Piracicaba e Região realizou na noite da última terça-feira (22) a terceira assembleia da Campanha Salarial dos servidores de Piracicaba, em frente à prefeitura de Piracicaba. A categoria rejeitou a proposta da administração que foi de 10,56%, a partir de 01/03/2022; 3,17% a partir de 01/09/2022; 3,17% a partir de 01/09/2023 e 3,16% a partir de 01/03/2024, totalizando reajuste de 20,06%.

    Cerca de 3.000 servidores estiveram presentes, entre cartazes, panelaços e faixas mostraram a suas revoltas, alegando que os gastos aumentaram principalmente por causa dos impostos, IPTU, combustível, dentre outros, demonstrando a inviabilidade da proposta da prefeitura. Ainda em negociação, a assembleia votou na proposta de 15% imediatamente e mais 6% em maio, proposta aprovada pelos servidores que foi encaminhada pelo Sindicato.

    “O prefeito reconheceu que perdemos 21%. Começamos a negociação, agora precisa acertar a reposição, são três anos sem reajuste. O reflexo da inflação começa com aumento do combustível. Recompondo, o prefeito terá grandes servidores trabalhando”, afirmou o dirigente José Osmir Bertazzoni, que completou: “estamos aqui desde às 15h, hoje que começou a conversa. O prefeito mandou proposta em repor as perdas em três anos, agora nos passou a contraproposta de 15% e depois o pagamento dos 6% em maio, sobrepondo os valores, ainda podemos entrar em greve, nada está encerrado. Se houver intransigência, a greve acontece”.

    “Os servidores querem a reposição total da inflação ainda nesse ano. Cada vez que aguarda mais para reposição, a categoria perde mais. Economizamos para a administração mais de R$ 75 milhões. A parcela de contribuição da categoria foi feita, fizemos nossa parte, contribuímos até mais que o próprio governo no combate a pandemia. É o momento da categoria ser reconhecida”, disse Alexandre Pereira, vice-presidente.

    Os servidores pediram também que na contraproposta, o Prefeito interrompa a Judicialização dos PLS 153 e 154 e envie para a Câmara, para que sejam pagos aos servidores vítimas da covid-19 que perderam o abono assiduidade, a gratificação dos professores e o abono da saúde.

    O Sindicato dos Municipais informou que os servidores seguem em estado de greve e que a entidade irá continuar com as negociações.  A próxima assembleia foi agendada para sexta-feira (25) às 19h em frente ao Centro Cívico. Caso a contraproposta não atenda os anseios do funcionalismo, a entidade seguindo os regimentos legais, deverá publicar edital para assim decretar a greve.

 

Foto: Dario Banzatto

Autoria: Marília Ferreira/Renata Perazoli Fonte: Sindicato dos Servidores Municipais de Piracicaba